Nas duas últimas semanas de novembro, o trabalho dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil nas fronteiras secas, portos e aeroportos em todo o país resultaram na apreensão de drogas como cocaína e ecstasy e na retenção de mercadorias valoradas em R$ 250 mil.

Recife/PE
Analistas-Tributários da Receita Federal atuaram na apreensão de cerca de 3 mil comprimidos de ecstasy nos Correios de Recife no último dia 20, sexta-feira.

Com apoio de cães farejadores e aparelhos de raio-X, a droga foi encontrada dentro de potes de creme de cabelo em remessas oriundas de Curitiba/PR. Duas pessoas foram presas em flagrante e autuadas por tráfico interestadual de entorpecentes e associação.

Santo Antônio do Sudoeste/PR
No último dia 20, uma denúncia anônima levou os agentes da Receita Federal de Foz do Iguaçu a localizar e acompanhar um veículo suspeito até um bairro de Santo Antônio do Sudoeste/PR.
Ao entrar em uma residência, o veículo foi abordado e após vistoria, os Analistas-tributários encontraram 52 caixas de vinhos importados ilegalmente da Argentina, avaliados em aproximadamente R$ 25 mil.

A mercadoria e o veículo foram apreendidos. O motorista e o passageiro foram liberados, porém serão enviadas representações fiscais ao Ministério Público para apuração dos ilícitos.

Amapá/AP
Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil atuara na retenção de 1,2 mil unidades de óculos descaminhados no Amapá, no último dia 24.

Quinze óticas foram visitadas durante o dia. Segundo a Receita Federal, os estabelecimentos apresentavam indícios de contrafação e descaminho em armações e óculos solares.

A ação ocorreu em conjunto entre a Receita Federal do Brasil (RFB) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e faz parte da Operação Hórus, de combate à pirataria, contrabando e mercadorias não tributadas. O valor dos itens foi avaliado em cerca de R$ 25 mil. (Com informações da Assessoria de Comunicação da Receita Federal do Brasil)

Porto de Santos/SP
Na última quinta-feira, dia 26, Analistas-Tributários atuaram na apreensão de 298 kg de cocaína que estavam escondidos em um contêiner no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. A droga foi localizada em um contêiner que estava prestes a ser embarcado para a Europa.

Segundo a Alfândega de Santos, a droga estava em meio a uma carga de papel, destinada ao Porto de Gioia Tauros, na Itália. De acordo com a Receita Federal, o contêiner foi selecionado para conferência por meio de critérios objetivos de análise de risco, incluindo a inspeção não intrusiva por imagens de escâner. Durante a inspeção, o cão farejador sinalizou positivamente para a presença de drogas.

A droga interceptada pela Alfândega foi entregue à Polícia Federal, que acompanhou a operação a partir de sua localização e prosseguirá com as investigações a partir das informações fornecidas pela Receita Federal.

Porto de Itajaí/SC
Analistas-Tributários da Alfândega da Receita Federal do Brasil no Porto de Itajaí/SC atuaram em conjunto com a Polícia Federal na quinta-feira, dia 26, na Operação “Cavalo de Pau” para verificar a regular importação de motos aquáticas nas marinas especializadas no Porto de Itajaí/SC e região.

Cerca de 500 embarcações foram fiscalizadas em três marinas da região, sete apreendidas. Os proprietários deverão apresentar documentos de regularização de importação para pegarem as motos de volta. Não houve prisões ou multas durante a operação e o valor dos itens apreendidos estão entre R$ 50 e 150 mil.

ATRFB em ação

Como atividade essencial à proteção da sociedade e do Estado, os Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil que atuam na Aduana mantêm a rotina de trabalho nos postos de fronteira terrestre, aeroportos e portos de todo o país.

Inclusive, os Analistas-Tributários reforçaram sua atuação para contribuir com a sociedade nesse momento, reafirmando o objetivo de garantir controle aduaneiro nas atividades de importação e exportação e, principalmente, assegurar a realização das atividades de fiscalização, vigilância e repressão, mesmo durante a pandemia de coronavírus.

Os Analistas-Tributários estão na linha de frente atuando na facilitação do comércio exterior, mas agindo também para garantir o combate ao contrabando, descaminho e tráfico internacional de drogas por todo o país.