Analistas-Tributários, Agentes da Polícia Federal e da Policia Rodoviária Federal fiscalizaram os veículos e bagagens além de alertar a população para a necessidade de mais investimentos nas unidades de fronteira

Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil lotados em unidades aduaneiras em vários pontos da fronteira do País realizaram ontem, dia 24 de novembro, uma operação padrão. Todos os veículos e turistas que passaram por essas unidades no período da manhã foram fiscalizados. A operação foi uma ação conjunta de Analistas-Tributários, Agentes da Polícia Federal e Policiais Rodoviários Federais e foi articulada por diretores e delegados sindicais do Sindireceita, Fenapef e Fenaprf.

Em Jaguarão/RS, na fronteira do Brasil com o Uruguai, a operação padrão foi realizada das 9h às 11h, no posto da PRF de Arroio Grande e contou com participação de 25 servidores dos 3 órgãos.

Em Jaguarão/RS, na fronteira do Brasil com o Uruguai, a operação padrão foi realizada das 9h às 11h, no posto da PRF de Arroio Grande e contou com participação de 25 servidores dos 3 órgãos. Analistas-Tributários, Agentes da Polícia Federal e da Policia Rodoviária Federal fiscalizaram os veículos e bagagens além de alertar a população para a necessidade de mais investimentos nas unidades de fronteira, bem como para a urgência na contratação de servidores e para criação do adicional de fronteira. 

Em Uruguaiana/RS, na fronteira do Brasil com a Argentina, a operação padrão foi realizada na pista de acesso a Ponte Internacional Getúlio Vargas-Agustín Pedro Justo, sobre o rio Uruguai

Em Uruguaiana/RS, na fronteira do Brasil com a Argentina, a operação padrão foi realizada na pista de acesso a Ponte Internacional Getúlio Vargas-Agustín Pedro Justo, sobre o rio Uruguai. Após 30 minutos de operação formou-se um congestionamento de dois quilômetros, o que revela a necessidade de mais investimentos para que os órgãos de estado consigam atender a crescente demanda de fiscalização nas fronteiras. A operação foi iniciada às 09h e encerrada às 11h e contou com ampla cobertura da imprensa local. 

Em Foz do Iguaçu/PR enormes filas foram registradas ontem pela manhã na BR 277, único acesso à Ponte Internacional da Amizade

Em Foz do Iguaçu/PR enormes filas foram registradas ontem pela manhã na BR 277, único acesso à Ponte Internacional da Amizade, na fronteira do Brasil com o Paraguai. A operação padrão mobilizou as forças federais que atuam nas fronteiras brasileiras e teve a adesão completa de Agentes da Polícia Federal, Policiais Rodoviários Federais e Analistas-Tributários da Receita Federal. Até servidores que estavam de folga compareceram aos postos de trabalho numa demonstração de força do movimento que pode ter continuidade por tempo indeterminado. 

Analistas-Tributários de Corumbá/MS também participam da mobilização para cobrar a implementação do adicional de fronteiras para servidores que atuam nessas áreas e também sensibilizar o Governo Federal para a necessidade de investimentos em pessoal e infraestrutura nessas unidades. A operação padrão ocorreu no Posto Esdras, localizado na fronteira corumbaense com a Bolívia e teve oito horas de duração. De acordo com o Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil Cristiano Demboski todos os veículos que passaram pelo Posto Esdras foram fiscalizados. “Paramos 100% dos veículos e vistoriamos a documentação e a bagagem”, informou.

Analistas-Tributários fiscalizaram todos os veículos que passaram pelo Posto Esdras, localizado na fronteira corumbaense com a Bolívia

O Analista-Tributário destacou que a operação tem por objetivo alertar a sociedade sobre a necessidade de investimento na fiscalização e cobrar a implementação do adicional de fronteira. Ele ressalta que o adicional seria um atrativo para manter os profissionais por mais tempo nas áreas fronteiriças. “Funcionaria para fixar funcionários na fronteira. Hoje tem o concurso e as vagas que abrem sempre são na fronteira. Então a pessoa vem e já espera o próximo concurso de remoção para sair o mais rápido possível. Se vai ganhar o mesmo salário aqui ou em São Paulo, por exemplo, ele vai querer sair de uma área de fronteira”, argumentou Cristiano. A grande rotatividade prejudica os postos de fronteiras que acabam ficando com o contingente de servidores defasado. No Posto Esdras, a mobilização também reuniu Analistas-Tributários, Agentes da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. Os servidores aproveitaram para cobrar a implantação do Plano Estratégico de Fronteiras. (Com informações da Gazeta do Iguaçu e Diário Online)