Autor: leticia

Câmara de Gestão mira aeroportos e Saúde

Outras áreas definidas como prioritárias para melhoria de desempenho são Previdência, Justiça e Correios O Globo – 30/06/2011 BRASÍLIA. A situação dos aeroportos brasileiros e o atendimento na saúde pública serão as primeiras áreas a serem atacadas pela Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade, criada pela presidente Dilma Rousseff para melhorar os serviços prestados à população e reduzir os gastos públicos. Na sua primeira reunião, ontem, no Palácio do Planalto, a câmara, que é integrada por representantes do governo e do setor privado, elegeu cinco áreas prioritárias: além do Ministério da Saúde e da Infraero, Previdência Social, Justiça e Correios. – São áreas em que podemos ter impacto maior de economia. Áreas com bastante recursos aplicados, como a Saúde, e de prestação de serviços ao cidadão, em que as pessoas poderão sentir que os serviços estão melhorando – disse a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. As reuniões da câmara serão bimensais, segundo seu presidente, o empresário Jorge Gerdau Johannpeter. O aprimoramento da gestão da saúde pública e dos aeroportos será debatido na primeira quinzena de julho. – Vamos trabalhar coisas prioritárias, de curto prazo, e outras com maior profundidade. Vamos cuidar do aprimoramento da gestão e da qualidade dos serviços ao usuário, acompanhar temas estratégicos e a competitividade – disse Gerdau. – Estamos muito confiantes de que esse processo possa dar frutos e benefícios à sociedade....

Read More

Sindicalistas rejeitam propostas

O Globo – 30/06/2011 BRASÍLIA. A proposta de minirreforma da Previdência feita por técnicos da Fazenda e da Previdência deixou indignados dirigentes das centrais sindicais e da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap). Eles dizem não ter sido informados na mesa de negociação, coordenada pela Secretaria Geral da Presidência, e ameaçam mobilizar filiados se o governo enviar o texto ao Congresso. – Todo mundo vai chegar à reunião envenenado. Havia o compromisso do governo de apresentar proposta para discussão com as centrais. Não vamos aceitar mudanças para piorar o que já tem – – reagiu o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho. O presidente da Cobap, Warley Gonçalles, disse que a entidade não aceita que o valor da pensão caia para 70% se a viúva não tiver filhos. Também rejeita o item prevendo que o benefício seja pago só por dez anos se a beneficiária tiver menos de 35 anos. O secretário nacional da CUT, Quintino Severo, disse que falta articulação entre a Fazenda, a Previdência e a Secretaria Geral: – Se o governo tem proposta, deve apresentar na mesa de negociação. Isso não foi falado – disse, destacando que a CUT não negociará o fim do fator previdenciário em troca de mudanças nas...

Read More

Nova ponte entre Brasil e Paraguai terá ferrovia

GAZETA DO POVO – PR – 30/06/2011 A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, definiram ontem, na capital paraguaia, mudanças no projeto da segunda ponte entre os dois países, que será construída no Rio Paraná. O projeto original de ligação da cidade paraguaia de Presidente Franco com Foz de Iguacu, no lado brasileiro, previa a construção uma ponte rodoviária. A pedido do governo paraguaio, a ponte deverá ser também ferroviária, segundo informou o assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia. Pedido De acordo com informações da Agência Brasil, Dilma também reforçou durante o encontro o pedido para que o governo paraguaio legalize as terras dos “brasiguaios”, como são chamados os cerca de 300 mil brasileiros que moram no Paraguai. Ao longo da reunião, foi discutida ainda a possibilidade de legalização dos sacoleiros brasileiros cadastrados que fazem compras no Paraguai para revender os produtos no Brasil. Segundo estimativa da RECEITA FEDERAL, o CONTRABANDO na fronteira entre Brasil e Paraguai provoca um prejuízo de R$ 5 bilhões por ano aos cofres públicos. De acordo com Marco Aurélio Garcia, essa questão deverá ser resolvida no segundo semestre deste...

Read More

Empresas correm para se manter no Refis

Quase 40% das companhias que aderiram ao programa deixaram para acertar valor renegociado da dívida no último dia e podem ficar de fora O Estado de S.Paulo – 30/06/2011 Mais de um terço das maiores empresas do País que renegociam suas dívidas com a União no chamado “Refis da crise” deixaram para o último dia a negociação dos valores finais dos parcelamentos e correm o risco de perder as condições especiais para a quitação dos débitos. O prazo para que esses contribuintes escolham o número de parcelas nas quais serão pagas as dívidas – que podem chegar a 180 meses – se encerra hoje, mas apenas 89 mil das 150 mil companhias do primeiro grupo a realizar a negociação completaram o processo na RECEITA FEDERAL e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) até o fim da tarde de ontem. Faltando dois dias para o encerramento do prazo, apenas 59 mil firmas haviam realizado o procedimento. Mas, após um ultimato de ambos os órgãos, emitido ontem de manhã, houve uma corrida de contribuintes atrasados que buscaram regularizar a tempo seus parcelamentos. Mais de 30 mil empresas concluíram a negociação antes das 18 horas, e a PGFN esperava realizar ainda outros 10 mil processos até o fim do dia. Último dia. “Acredito que vamos conseguir chegar muito perto do total dentro do prazo. Infelizmente o brasileiro tem a cultura de deixar...

Read More

Brasil tem pior serviço público em relação à arrecadação de impostos, diz estudo

 InfoMoney – 20 de junho de 2011 SÃO PAULO – O brasileiro tem os piores serviços públicos em proporção aos impostos que paga, de acordo com um estudo do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário ), que relaciona informações de 30 países com maior arrecadação tributária do mundo em relação ao retorno de benefícios à população.Segundo o levantamento, mesmo com a alta carga tributária do País, que incide sobre rendimento, consumo e patrimônio do contribuinte, o Brasil ocupa a última posição no ranking, atrás de países como Uruguai e Argentina. “O resultado deste estudo vem corroborar a posição do IBPT(…) apontando que a alta carga tributária do País vem historicamente contrastando com um péssimo e ineficiente serviço público, em áreas vitais como educação, saúde, transporte, segurança, saneamento básico e outras, quando deveriam ser recursos arrecadados para o bem estar da população”, ressalta o presidente do IBPT, João Eloi Olenike. No topo da lista de países que melhor aplicam os tributos em qualidade de vida aos cidadãos estão Estados Unidos, Japão e Irlanda. Estudo Para realizar levantamento, o IBPT utilizou dados da Carga Tributária, atualizados em 2009 pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e o IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, com atualização da ONU (Organização das Nações Unidas) até 2010. O Instituto desenvolveu um índice chamado Irbes (Índice de Retorno de Bem Estar à Sociedade). Quanto maior o valor do Irbes, melhor é o retorno da arrecadação dos tributos...

Read More

Links Aduana