O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou ontem o secretário interino da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, como titular do cargo, em substituição a Lina Vieira, demitida há um mês. Num mesmo movimento, a decisão cede à forte pressão do grupo político da ex-secretária, que ameaçou debandar em massa se um nome que lhe desagradasse fosse indicado, e mantém o poder do secretário-executivo do ministério, Nelson Machado, sobre o órgão. Na prática, Machado já mandava na Receita e vai continuar dando as cartas agora. Enquanto isso, Lina promete continuar fazendo barulho contra a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Paraibano, Cartaxo é auditor fiscal há mais de 30 anos. Amigo de Lina Vieira, decidiu colaborar com sua administração, depois de ter ocupado posições importantes na gestão de Everardo Maciel, com quem se dá muito bem, e de Jorge Rachid. Foi delegado da Receita em Natal (RN), como Lina, inspetor do Porto de Recife e superintendente da 4ª Região Fiscal (Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte). Segundo um fiscal próximo a ele, o novo secretário é uma pessoa calma, de personalidade afável e bem-humorada. Tem certa dificuldade de falar em público e detesta ter de lidar com computadores.