Carlos Lacerda, secretário para Assuntos Parlamentares da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) e de Relações Institucionais da Força Sindical, levou apoio à CPI das Fronteiras, no Senado, que deverá ser instalada pelo senador Marcelo Crivella.

Lacerda diz que o Brasil precisa de no mínimo 1.200 funcionários nas fronteiras do Brasil para ajudar no trabalho de fiscalização, tanto contra o contrabando de arma quanto contra o contrabando de cd, dvd, brinquedo, eletrônicos, relógio e produtos têxteis.

Esta mobilização da CNTM com a Força Sindical conta também com as participações do Sindireceita (Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil), da Federação Interestadual dos Trabalhadores Metalúrgicos e Magnéticos da Região Norte, da FTIEAM (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Estado do Amazonas), do Sindicato das Indústrias dos Meios Magnéticos e Fotográficos do estado do Amazonas, do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares de Manaus, do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas) e do Sistema FIEAM (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas). (Informações CNTM)