Operação padrão teve o objetivo de chamar a atenção para a realidade dos servidores na fronteira

O Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), e a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) estiveram à frente do Dia Nacional de Mobilização em Defesa das Fronteiras do Brasil, no último dia 29 de março. Os servidores se concentraram na rodovia federal BR-174 norte, no Km 724, em frente ao posto da Polícia Federal (PF), fronteira do Brasil com a Venezuela.

Assim como em outros pontos fronteiriços, os protestos foram focados em melhores condições de trabalho e reaparelhamento dos Órgãos de Fronteira. O evento serviu também para chamar atenção da sociedade e da mídia. Na pauta principal estava a reivindicação do “adicional de fronteira” como forma de incentivar os servidores públicos a fixarem residência nessas regiões.

O país tem 16,8 mil km de fronteiras, dos quais 2 mil quilômetros estão em Roraima. Conforme as entidades, as divisas internacionais, que têm fiscalização deficitária, estão com as “portas abertas” para a entrada de drogas, armamentos ilegais, pirataria e todo o tipo de contrabando.

O país tem 16,8 mil km de fronteiras, dos quais 2 mil quilômetros estão em Roraima

A operação padrão no Município de Pacaraima ocorreu em frente à Delegacia da Polícia Federal. Servidores da Receita Federal, PF e PRF fizeram uma fiscalização mais apurada de todos os veículos que passaram pela aduana. Além disso, foram distribuídos panfletos sobre a mobilização nacional. “Pretendemos levar ao conhecimento da população a falta de estrutura que estas instituições têm à disposição nas fronteiras”, disse Welton Lúcio, delegado sindical dos Analistas-Tributários da Receita Federal em Roraima