A Receita Federal, Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram, nesta sexta-feira (11), a Operação Status, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa suspeita de praticar crimes de tráfico internacional de entorpecentes no Estado do Mato Grosso do Sul, região de fronteira entre o Brasil e o Paraguai, e lavagem de dinheiro.

Os Analistas- Tributários atuaram na operação que promoveu investigações que detectou uma organização criminosa altamente especializada no tráfico de drogas e na “lavagem” do dinheiro obtido ilicitamente, de forma que a família, que liderava a organização, pudesse usufruir de uma vida de luxo, ostentando veículos, lanchas, motos aquáticas, fazendas no Mato Grosso, e até de um “resort” particular, situado às margens de um famoso lago situado no município de Chapada dos Guimarães/MT.”.

A Receita Federal, por meio de sua unidade de inteligência fiscal, produziu relatórios apontando inconsistências fiscais dos investigados, bem como, a propriedade de bens móveis e imóveis registrados em nome dos investigados e de interpostas pessoas, “laranjas” ou “testas de ferro”.

A 5ª Vara Federal de Campo Grande/MS decretou a prisão preventiva de 8 investigados e a busca e apreensão de bens e direitos em 48 endereços, cujos mandados estão sendo cumpridos nos municípios de Campo Grande/MS, Ponta Porã/MS, Cuiabá/MT, Barra do Garças/MT, Primavera do Leste/MT, Chapada dos Guimarães/MT, Santana de Parnaíba/SP, São Paulo/SP, Curitiba/PR, Londrina/PR e Rio de Janeiro/RJ.

Pela Receita Federal, participam, do cumprimento das medidas cautelares, três Auditores-Fiscais e 9 Analistas-Tributários da Receita Federal.

Fonte: Com informações da Receita Federal do Brasil