“Resgate do direito Constitucional”. Foi com esse discurso que o secretário-geral do Sindireceita, Jorge Luiz Moreira defendeu, nessa quarta-feira, dia 12, a Proposta de Emenda à Constituição – PEC nº 170/2012, em audiência pública, na Câmara dos Deputados, em Brasília/DF.

A PEC complementa a Emenda Constitucional n.º 70/2012, ao garantir que os servidores aposentados por invalidez permanente, por causa de doenças que não estejam previstas em lei, tenham direito a proventos integrais. A Proposta dá nova redação ao inciso I do § 1º do art. 40 da Constituição Federal.

Diversos deputados federais apresentaram pronunciamento favorável à aprovação da PEC na audiência pública. A Proposta já percorreu todas as comissões da Câmara dos Deputados e hoje aguarda aprovação do Plenário. A tramitação vitoriosa da Proposta corresponde ao histórico de lutas da Diretoria Executiva Nacional (DEN) do Sindireceita, em conjunto com as demais entidades representativas dos servidores públicos.

audiencia publica PEC 170  (3)

O secretário-geral do Sindireceita, Jorge Luiz Moreira em discurso de defesa de proventos integrais ao servidor que se aposentar por invalidez

O deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP) declarou a importância de aprovar a PEC 170. “Hoje, o funcionalismo público enfrenta uma situação complicada, pois existem servidores que não têm a mínima condição de continuar trabalhando e, no entanto, prefere adiar a aposentadoria para não perder os benefícios como profissional ativo. Essa realidade pode mudar com a pressão do Sindireceita e as entidades que respondem pelos servidores públicos junto à base parlamentar do Congresso Nacional”, afirma.

De acordo com o deputado federal Ivan Valente (PSOL/SP), a aprovação da PEC 170 representa a correção de injustiças e de perversidades praticadas contra os servidores públicos. “O suposto impacto financeiro que seria provocado pelo Projeto, citado por alguns parlamentares da base do governo, é bem pequeno se comparado com outras questões nacionais. O grosso do orçamento federal são os refinanciamentos, as desonerações e o pagamento de juros da dívida não discutidos. A PEC é uma luta que vale a pena e é possível vencer ainda neste ano. O momento político eleitoral é propício para mobilização do Sindireceita e das entidades que defendem o servidor público para pautar essa PEC”, garante.

audiencia publica PEC 170  (9)

Deputado federal Ivan Valente (PSOL/SP) destaca que a PEC é uma luta que vale a pena e é possível vencer ainda neste ano

O relator da Proposta, o deputado federal Marçal Filho (PMDB-MS) também fortaleceu o discurso de apoio ao texto na composição da mesa. Os deputados Alexandre Roso (PSB/RS) e Junji Abe (PSD/SP) também apresentaram parecer favorável à aprovação da Proposta.

Tramitação da Proposta
Consta no cronograma da Câmara dos Deputados a audiência pública, no dia 18 de março, às 14h30, com o Ministro de Estado do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, para tratar da PEC 170. Segundo a autora da Proposta, a deputada federal Andreia Zito (PSDB/RJ), a previsão é realizar também outras audiências públicas para ampliar o conhecimento e esclarecer qualquer dúvida sobre a Proposta de Emenda à Constituição 170.

Com calendário reduzido no Congresso Nacional devido à eleição presidencial e a Copa do Mundo, o maior desafio será acelerar o debate sobre a Proposta na Câmara dos Deputados, afirma Andreia Zito. “Meu desejo é sinceramente fechar este semestre com chave de ouro, por meio da aprovação da PEC. Para isso, é de fundamental importância que os sindicatos, associações e federações, que atuam em nome dos servidores públicos, façam pressão para avançarmos neste processo”, explica.

A deputada federal Andreia Zito (PSDB/RJ) pretende fechar este semestre com chave de ouro, por meio da aprovação da Proposta

O deputado Alexandre Roso (PSB/RS) e a deputada federal Andreia Zito (PSDB/RJ) estão envolvidos com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição

Após a almejada aprovação na Câmara dos Deputados, a PEC 170 será encaminhada para o Senado Federal, pois para uma Proposta de Emenda à Constituição ser aprovada é necessário votação em dois turnos na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, por três quintos dos votos dos deputados e dos senadores.

Apoio estendido
Apesar da audiência pública abordar como pauta exclusiva a PEC que garante proventos integrais ao servidor que se aposentarem por invalidez, os parlamentares reforçaram também o apoio à PEC nº 555/2006.

A referida proposta extingue a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos e zera a contribuição de 11% dos vencimentos – criada em 2003 – a partir dos 65 anos de idade do aposentado. A PEC acaba com a injustiça estabelecida por meio da Emenda Constitucional (EC) nº 41/2003, que criou a contribuição previdenciária sobre os proventos de aposentados e pensionistas.

Até o momento, 358 deputados, entre titulares e suplentes, apresentaram requerimento para que a PEC entre na ordem do dia e possa ser analisada e votada pelo Plenário da Câmara dos Deputados. Conforme a proposta, a extinção da contribuição previdenciária será gradual, a partir dos 60 anos de idade.