Geral Abertura AGNDurante a abertura da XIV Assembleia Geral Nacional (AGN), na noite desta sexta-feira, dia 21 de agosto, em Curitiba/PR, a presidenta do Sindireceita, Sílvia de Alencar, destacou a garra da categoria na busca por uma Receita Federal mais justa e, ainda, pela valorização e o reconhecimento do cargo de Analista-Tributário. “Temos diante de nós uma oportunidade única para construirmos juntos, nos próximos dias, as estratégias de atuação de nossa categoria e garantir ao nosso Sindicato os instrumentos necessários para que possamos continuar lutando por uma Receita Federal mais eficiente, para que possamos defender de todas as formas a nossa Carreira de Auditoria”, reforçou.

Sílvia abertura AGN (1)Sílvia de Alencar, usou a expressão do Delegado Sindical do Sindireceita em Curitiba/PR, Antônio Jordão, que falou sobre os ridículos tiranos, para complementar a fala do superintendente da Receita Federal na 9ª Região Fiscal, Luiz Bernardi, sobre a necessidade de uma Receita Federal forte. “Jamais teremos uma Receita Federal forte com ridículos tiranos! Somente com a união dos cargos, com a remodelagem do poder que existe hoje dentro Órgão e com a redistribuição de atribuições dentro da RFB que teremos uma Instituição forte. Uma Receita Federal forte passa por uma Carreira forte, e uma Carreira forte precisa de atribuições”, enfatizou.

Ainda sobre a fala do superintendente Bernardi, que na ocasião tratou do reconhecimento do Analista-Tributário, a presidenta do Sindireceita criticou a falta de postura e de isenção da administração, que não se posiciona como mediadora dos conflitos do Órgão. “O reconhecimento ao nosso cargo é falado por parte de muitos administradores, mas as palavras nunca foram transformadas em atos concretos. As palavras são bonitas, elas arrastam, mas são os exemplos que convencem. A administração perdeu o tom e resolveu entrar em uma briga de categorias. Queremos que a Receita Federal seja mediadora do conflito existente na casa, buscando resolver o problema de uma vez por todas”, cobrou.

A presidenta do Sindireceita falou ainda sobre o mapeamento de processos e sobre a participação colaborativa, técnica, profissional e isenta do Sindireceita nas ações realizadas. Na ocasião, Sílvia de Alencar exigiu que a Receita Federal dê continuidade aos trabalhos e tenha hombridade de apresentar para categoria um resultado digno.

Sílvia abertura AGN (2)Em seu discurso, a presidenta do Sindireceita falou também sobre o momento conturbado do País e da Receita Federal. Ela ressaltou a importância das últimas mobilizações da categoria e das inúmeras demonstrações de força do Analista-Tributário. “É certo que vivemos um momento extremamente delicado no âmbito da Receita Federal e do País. Mas é certo também que os últimos acontecimentos serviram para nos unir e nos fortalecer. A atuação dos Analistas-Tributários foi motivo de orgulho para todos. A nossa entidade organizou uma mobilização em dois dias e paramos a Receita Federal. Paramos não por pirraça, mas para sermos ouvidos e para a Receita Federal mudar o rumo da história e entender que o Analista-Tributário merece respeito”, reiterou.

Sílvia de Alencar disse ainda que a categoria sempre esteve disposta a dialogar, mas garantiu que, se for preciso, irá para o combate. “Nós levamos os problemas internos da Receita Federal para extramuros porque não somos ouvidos em nossa casa, mas estamos abertos ao diálogo, buscando sempre uma solução para esse conflito. O que o Analista-Tributário quer é respeito, atribuição, dignidade e uma remuneração justa. Nós não queremos guerra em nosso Órgão, nós queremos paz, mas, se a guerra for necessária para garantir a paz, faremos a guerra”, garantiu.

A presidenta do Sindireceita falou também sobre o orgulho de ser Analista-Tributária e de pertencer à Receita Federal do Brasil. “É com muito orgulho que estou aqui hoje representando minha categoria. Tenho orgulho de ser Analista-Tributária e gostaria que a Receita Federal e o outro sindicato entendessem, de uma vez por todas, que o ATRFB tem identidade própria e não deseja, de forma alguma, virar auditor”, frisou.

Na ocasião, Sílvia de Alencar apresentou ainda um pensamento otimista com relação ao cenário atual. “Tenho certeza que essa crise irá passar e nós faremos parte da reconstrução do País, do Órgão e da nossa Carreira. Estamos dispostos a juntos fazermos um País e uma Instituição diferente, seja com o governo, com a Receita Federal ou com a outra categoria. Porque a RFB é do Brasil e a Carreira de Auditoria é nossa e sempre será!”, destacou. 

Sílvia de Alencar encerrou seu discurso citando o compositor Geraldo Vandré: “caminhando e cantando e seguindo a canção, somos todos iguais braços dados ou não”. Na ocasião, a presidenta do Sindireceita convidou a todos a caminharem de braços dados para a reconstrução do Órgão e para fazer da Receita Federal um motivo de orgulho para a nação brasileira.