Resultado é recorde para o período; Porto de Santos foi responsável por 40% das apreensões

A Receita Federal, que mantém sua rotina de trabalho em todo o país durante a pandemia de coronavírus, apreendeu 27,8 toneladas de cocaína no primeiro semestre de 2020. A quantidade é 5,07% maior do que a registrada entre janeiro e junho de 2019, e é o maior resultado já apurado pelo órgão nos seis primeiros meses de um ano.

Para combater a movimentação de drogas no país, o órgão tem investido constantemente em tecnologia, capacitação de servidores e ações de inteligência, como troca de informações com órgãos de segurança nacionais e administrações aduaneiras de outros países.

Cerca de 40% das apreensões de cocaína pela Receita Federal ocorreram no Porto de Santos (SP), o maior da América Latina, que reteve 10,5 toneladas da droga. Outros portos que registraram números expressivos foram os de Salvador (BA) e Paranaguá (PR), com apreensões de 4,9 toneladas e 4,3 toneladas respectivamente. Em 2019, a Receita Federal registrou um recorde de apreensão de cocaína, com 57,8 toneladas apreendidas. O resultado foi 84% maior do que o apurado em 2018.

Retrospectiva das maiores apreensões

Janeiro: Analistas-Tributários atuaram na apreensão de 1.910 kg de cocaína em uma ação finalizada no dia 17 de janeiro, no Porto de Santos/SP. A ação foi promovida por equipes da Alfândega da Receita Federal no Porto de Santos e condutores de cães de faro da própria Unidade e da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal na 8ª Região Fiscal (Direp/08).

Fevereiro: No dia 9 de fevereiro, Analistas-Tributários em conjunto com a Polícia Federal, atuaram na apreensão de quase 300 kg de cocaína no Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná.

Março: No dia 17 de março, foram apreendidos 700 kg de cocaína em meio a uma carga de 21,6 toneladas de tripas de carne, resultado do trabalho de gerenciamento e análise de risco desenvolvidos pelas equipes da Alfândega de Santos, da utilização de cães de faro e de imagens de escâneres. Entre os dias 19 e 26 de março foram apreendidas cerca de duas toneladas de cocaína escondidas no Porto de Paranaguá/PR.

Abril: No dia 25 de abril, Analistas-Tributários atuaram na apreensão de cerca de 1 tonelada de cocaína também no Porto de Santos. A droga estava escondida em carregamento de óleo de laranja, que tinha como destino final o Porto de Hamburgo, na Alemanha. No dia 20, uma ação foi realizada em conjunto com a Polícia Federal,  servidores atuaram na apreensão de 800 quilos de cocaína no Porto de Salvador. No dia 27, os Analistas-Tributários atuaram na apreensão de 1,1 tonelada de cocaína no Porto de Salvador.

Maio: Entre os dias 18 e 21 de maio, Analistas-Tributários das equipes da Alfândega da Receita Federal em Santos atuaram na localização de cerca de duas toneladas de cocaína escondidas em cargas que seriam exportadas para a Europa e Oriente Médio.

Junho: Analistas-Tributários, em conjunto com a Polícia Federal, atuaram na apreensão de duas toneladas de cocaína encontradas numa carga de 368 toneladas de soja, que estava armazenada no porto de Ilhéus no dia 19 de junho. Em geral, as drogas são encontradas escondidas em cargas de exportação cujo destino final é a Europa.

Atuação dos Analistas-Tributários durante a pandemia

Como atividade essencial à proteção da sociedade e do Estado, os Analistas-Tributários da Receita Federal que atuam na Aduana mantêm a rotina de trabalho nos postos de fronteira terrestre, aeroportos e portos de todo o país. Inclusive, os Analistas-Tributários reforçaram sua atuação para contribuir com a sociedade nesse momento, reafirmando o objetivo de garantir controle aduaneiro nas atividades de importação e exportação e, principalmente, assegurar a realização das atividades de fiscalização, vigilância e repressão, mesmo durante a pandemia de coronavírus.