A Semana Original, ação de combate à pirataria e ao contrabando do Sindireceita realizada em conjunto com a Delegacia da Receita Federal em Boa Vista/RR, começou ontem, dia 19 de novembro, com intensa participação da população e da imprensa local, onde foi destaque por dois dias consecutivos em um dos principais jornais do estado de Roraima, a Folha de Boa Vista . 

Mais de 300 pessoas, entre elas vários representantes de diversos segmentos da sociedade civil, prestigiaram a solenidade de abertura no Palácio da Cultura “Nenê Macaggi”. À tarde, foi realizada panfletagem com material explicativo sobre a pirataria no Centro Comercial Caxambu, com ótima recepção dos comerciantes e consumidores.

Solenidade de abertura lota auditório do Palácio da Cultura

Professores e estudantes foram a maior parte das mais de 300 pessoas que comparecem à solenidade de abertura da “Semana Original”, que foi realizada no auditório do Palácio da Cultura “Nenê Macaggi”, na Praça do Centro Cívico em Boa Vista.

O evento iniciou com o Hino Nacional e o de Roraima, interpretados pela solista do Coral “Canarinhos da Amazônia”, Priscila Santos Araujo. Em seguida foi formada a mesa de abertura com as autoridades presentes: a presidenta do Sindireceita, Silvia de Alencar, o delegado da Receita Federal em Boa Vista, Omar Rubim, o representante do governador de Roraima, a secretária adjunta da Secretaria da Fazenda Marta Maria Santana, o secretário de Cultura de Roraima, Marco Aurélio Porto, a representante da Secretaria da Educação de Roraima, Vanete Aguiar Ventura, o secretário de Finanças de Boa Vista, Márcio Vinicius de Souza Almeida, a representante da Controladoria Geral da União, Tarcila Carvalho, o representante da Reitoria da Universidade Federal de Roraima (UFRR), a professora Ana Zuleide Barroso, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Roraima, Jorge da Silva Fraxe, o coordenador Técnico da Federação das Indústrias do Estado de Roraima, Ivo Gallindo e o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Roraima, Joaquim Gonçalves Santiago.

Sendo o primeiro a se pronunciar o delegado da Receita Federal em Boa Vista, Omar Rubin, enalteceu a parceria entre a delegacia que coordena e o Sindireceita. “É o começo de um longo trabalho com o Sindireceita”, exclamou. Rubim também destacou o empenho dos Analistas-Tributários da Delegacia da Receita Federal na realização do evento que ocorrerá durante toda a semana. O delegado da Receita Federal de Boa Vista finalizou sua fala elogiando o foco pedagógico da campanha “Viva a originalidade: Pirata, tô fora!” que é fundamental para conscientizar a sociedade sobre os problemas causados pelos produtos piratas.

A chefe da Divisão de Projetos Especiais da Secretaria de Educação de Roraima, Vanete Aguiar Ventura, foi a segunda a se pronunciar e enfatizou a importância da “Semana Original” para Roraima por se tratar de um estado que tem fronteiras com a Venezuela e Guiana, afirmando acreditar que no fim das diversas atividades serão “colhidos muitos frutos”, pois o conhecimento ali compartilhado será disseminado pelos participantes do evento. Vanete expressou a vontade de que os projetos de educação fiscal, realizados nas escolas de Boa Vista, homenageados na solenidade, sirvam de exemplo para as demais unidades de ensino. “Que possamos fazer a educação fiscal dentro da sociedade roraimense. Esses são os nossos esforços” falou Vanete, que estava representando a secretária de Educação e Desportos de Roraima, Lenir Rodrigues Luitgards Moura.

Na sequência da fala das autoridades componentes da mesa de abertura da “Semana Original” a presidenta do Sindireceita agradeceu a grande presença do público e à acolhida que a cidade de Boa Vista conferiu à campanha de combate à pirataria do Sindireceita. “Para nós é uma alegria iniciar nosso evento com tantas pessoas presentes, interessadas em valorizar a originalidade do Brasil e enfrentar a pirataria”. Silvia de Alencar afirmou ser necessário desmistificar a ideia de que a pirataria é um crime menor. “A pirataria é um crime socialmente aceito e as pessoas acreditam que não há tantos problemas. Muito pelo contrário, a cada dia mais pessoas consomem, por exemplo, remédios falsificados prejudicando sua saúde” enfatizou.

Finalizando os pronunciamentos a secretária Adjunta da Secretaria da Fazenda, Marta Maria Santana, que representou o governador José de Anchieta Júnior, agradeceu em “nome do governo” a realização da Semana na “nossa capital Boa Vista”. “O principal problema da pirataria é comprar produto que não paga impostos, que tira empregos do Estado” destacou a secretaria adjunta.

Projetos escolares contra a pirataria são homenageados na abertura da Semana Original

Antes das saudações das autoridades, professores e estudantes foram homenageados pelos trabalhos relacionados à educação fiscal desenvolvidos nas escolas, em temas com foco na pirataria. Da Escola Estadual Lobo D’Almada foi selecionado o projeto “Educação Fiscal no Ambiente Escolar”, representado pela professora Marise de Castro Bessa e pela estudante Débora Kalline da Silva. A Escola Estadual Prof. Idarlene Severino da Silva foi homenageada pelo projeto “Educação Fiscal, Pirataria Tô Fora”, representado pela professora Silvania Lima Silva e pela estudante Juliana de Souza Santos. A Escola Estadual Antônia Coelho se destacou com o tema “Pirataria é crime”, representada na ocasião pela professora Givaneide Barbosa. Por fim, a Escola Estadual Girassol destacou-se com o projeto “Escola com Cidadania”, sendo representada pela professora Kátia Pereira de Almeida e pela estudante Emile Vitória Aguiar Pereira. Além das homenagens às escolas selecionadas foram contempladas com uma viagem a Aduana de Pacaraima para conhecer o trabalho desenvolvido pela Receita Federal.

Diretor do Sindireceita apresenta a palestra “Pirataria: o crime do século XXI”

Após as homenagens aos projetos escolares de Educação Fiscal com foco na pirataria e desfeita a mesa de abertura, o diretor de Assuntos Aduaneiros do Sindireceita, Moisés Hoyos, proferiu a palestra “Pirataria: o crime do século XXI”.

Hoyos apresentou dados alarmantes, pouco conhecidos pela população sobre os prejuízos causados pelo consumo de produtos piratas, destacando os efeitos da pirataria de medicamentos. “A estimativa da Organização Mundial da Saúde aponta que 10% dos remédios consumidos no mundo não são originais. No Brasil essa taxa sobe até 30%” exemplificou.
Dos malefícios da pirataria à economia nacional, o diretor do Sindireceita utilizou estudos do Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), órgão ligado ao Ministério da Justiça. “De acordo com o CNCP o Brasil deixa de arrecadar hoje R$ 40 bilhões por ano com pirataria e contrabando. Além disso, dois milhões de empregos formais deixam de ser criados por conta desse problema”. Hoyos ainda mostrou diversas imagens de “fábricas” de produtos piratas que apresentam péssimas condições de segurança e higiene, salientando que muitas são acusadas de trabalho escravo. “Crianças e adolescentes trabalham muitas horas por dia em algumas fábricas de produtos piratas”, denunciou.

Parte da palestra foi dedicada ao significado técnico das palavras pirataria, contrafação, descaminho, falsificação e contrabando, explicando ao público a ação dos Analistas-Tributários que trabalham na Aduana combatendo justamente todos esses tipos de crime.

Moisés Hoyos concluiu apresentando medidas de curto, médio e longo prazo para o combate à pirataria. “Ações de repressão são as medidas mais imediatas a serem realizadas. Apoio aos órgãos de governo como o CNCP e os conselhos estaduais de combate à pirataria são medidas a médio prazo. As campanhas educativas tem eficácia no longo prazo, mas são as que eu acredito serem as mais eficientes, pois elas buscam mudar a consciência das pessoas” concluiu.

Ação de conscientização é realizada no Centro Comercial Caxambu

Analistas-Tributários e demais servidores da Delegacia da Receita Federal realizaram ação de conscientização contra a pirataria no principal comércio popular da cidade, o Centro Comercial Caxambu. Foram distribuídas centenas de cartilhas que, de maneira pedagógica, elucidam os malefícios da pirataria e valorizando a produção original brasileira. Junto à cartilha foi entregue o símbolo da campanha, uma mão em tamanho grande com a mensagem “Viva a Originalidade”, que fez a alegria de crianças e jovens que estavam no local.

Considerada uma das atividades mais importantes da semana, os participantes da “Semana Original” conversaram com vários comerciantes que ainda vendem produtos piratas, em especial réplicas de camisas de marcas internacionais, vindas da Guiana, país que faz divisa com Roraima. A maioria dos trabalhadores recebeu bem os informativos, valorizando a ação educativa.

Evento é destaque na imprensa local

A Semana Original está sendo o grande evento desta semana em Boa Vista. O evento foi destaque na edição do Bom Dia Amazônia de ontem, da TV Roraima afiliada à Rede Globo. A presidenta do Sindireceita concedeu entrevista ao vivo registrando a importância do evento para Boa Vista e para a disseminação de informações para o combate à pirataria. Pelo segundo dia consecutivo, o evento foi matéria de capa do jornal Folha de Boa Vista. A presidenta do Sindireceita ainda gravou participação do programa “Fala Roraima”, que vai ao ar na próxima segunda-feira à noite, na TV Roraima, canal 20 da cidade.

Veja abaixo a galeria de fotos do evento