Representantes do Sindireceita estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira, dia 8, com a deputada federal Alê Silva (PSL-MG), no gabinete da parlamentar na Câmara dos Deputados, em Brasília/DF. Na oportunidade, os membros do Sindicato trataram do Projeto de Lei  6788/2017, das reformas tributária e previdenciária (PEC 06/2019) e apresentaram o projeto “Mais Simples Mais Justo”, desenvolvido pelo Grupo de Estudos Tributários do Sindireceita.

O Sindireceita esteve representado na ocasião pelo presidente, Geraldo Seixas, pelo diretor de Estudos Técnicos da Diretoria Executiva Nacional (DEN), Eduardo Schettino, e pelo presidente do Conselho Nacional de Representantes Estaduais (CNRE), Gerônimo Sartori. A reunião também contou com a participação da assessora legislativa da Queiroz – Assessoria em Relações Institucionais e Governamentais, Letícia Mendes.

A deputada federal Alê Silva, que é relatora do PL 6788 na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara, discutiu com o presidente do Sindireceita, Geraldo Seixas, todos os pontos do projeto de lei afeitos à Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil. O texto dispõe sobre o cargo de Analista em Tecnologia da Informação da Carreira de Tecnologia da Informação, cria o Plano Especial de Cargos de Apoio da Advocacia-Geral da União, estrutura a Carreira de Suporte às Atividades Tributárias e Aduaneiras da Secretaria da Receita Federal do Brasil, e dá outras providências.

Durante a reunião, os representantes do Sindireceita também destacaram a importância da reforma tributária e demonstraram a preocupação do Sindicato sobre as ameaças contidas na reforma da Previdência, que atualmente tramita em comissão especial na Câmara dos Deputados. Na ocasião, o diretor de Estudos Técnicos da DEN, Eduardo Schettino, apresentou à parlamentar o projeto “Mais Simples Mais Justo”, voltado para a tributação da base de sonegadores no Brasil. A iniciativa dos Analistas-Tributários é uma alternativa à PEC 06/2019. “A reforma da Previdência está sendo discutida pelo prisma da despesa e o que nós trazemos com o projeto Mais Simples Mais Justo é uma solução pelo prisma do financiamento. Esse é um debate urgente e necessário”, afirmou Schettino.