“A finalidade dessa reunião é para buscarmos uma conversa amistosa, assim como soluções ou alternativas imediatas para evitarmos que esse tipo de conflito se repita” disse Sílvia de Alencar

“A finalidade dessa reunião é para buscarmos uma conversa amistosa, assim como soluções ou alternativas imediatas para evitarmos que esse tipo de conflito se repita” disse Sílvia de Alencar

A presidenta do Sindireceita, Sílvia de Alencar, foi recebida na tarde desta segunda-feira, dia 8, pelo Superintendente de Segurança Aeroportuária da Infraero, Álvaro Luiz Miranda Costa, para tratar do episódio ocorrido no dia 20 de março, no Aeroporto de Confins/MG. O incidente resultou na detenção e encaminhamento à Polícia Civil de uma Analista-Tributária, quando a servidora chegou em seu local de trabalho na Inspetoria do Aeroporto. Segundo o Superintendente da Infraero, o vigilante terceirizado que se envolveu no desentendimento já foi afastado do posto e alocado em outro setor.

A presidenta do Sindireceita relatou que sempre ocorrem imprevistos nos aeroportos alfandegados envolvendo a relação de trabalho entre servidores públicos e funcionários terceirizados, mas o acontecimento de Confins foi considerado gravíssimo. “A finalidade dessa reunião é para buscarmos uma conversa amistosa, assim como soluções ou alternativas imediatas para evitarmos que esse tipo de conflito se repita. O incidente de Confins foi a gota d’água de uma postura atrapalhada de um terceirizado que, lamentavelmente, se transformou em um caso de polícia” criticou. Sílvia de Alencar lembrou que logo após ser comunicada do ocorrido determinou a imediata assistência jurídica à filiada, por meio do advogado da Diretoria de Assuntos Jurídicos (DAJ), que deslocou-se no mesmo instante para Belo Horizonte/MG.

O diretor adjunto de Assuntos Jurídicos, Tales Freitas, também participou da reunião e salientou sua preocupação quanto à gravidade do fato. Freitas observou ainda sobre a necessidade de haver a capacitação através de treinamentos para os terceirizados, evidenciando, inclusive, a importância dessa preparação para as demandas dos grandes eventos esportivos no país.

O Superintendente de Segurança Aeroportuária adiantou que a Infraero já recebeu o relatório do incidente. “A questão é polêmica. Consideramos esse fato isolado e que será resolvido pelas autoridades em fórum específico. A Infraero busca equacionar esse tipo de desavença com o treinamento dos agentes aeroportuários, tenta fazer a sensibilização quanto à abordagem, mas o uso da credencial é fundamental”, garantiu Álvaro Costa. “A Infraero é como se fosse um ‘grande síndico’ dos aeroportos, que tem de cumprir a legislação porque é cobrada pela ANAC”, ressaltou.

Para a presidenta do Sindireceita o credenciamento é também uma questão de segurança. “Concordo que a credencial, ou a identificação funcional, não se limita somente a ter acesso ou restrição às áreas autorizadas, o seu uso é importante porque zela pela segurança do servidor”, defendeu Sílvia. 

A reunião na Superintendência de Segurança Aeroportuária da Infraero (DOSA) também foi acompanhada pela Gerente de Proteção Contra Atos Ilícitos, Gabriela de Castro Gilberto Penha.

Veja aqui as considerações apresentadas pelo Sindireceita quanto ao acesso aos aeroportos alfandegados.