Os horizontes e desafios do atendimento da Receita Federal do Brasil (RFB) visando maior eficiência ao Fisco e melhor aproveitamento da mão de obra dos servidores do órgão foi tema de debates do VI Encontro Regional dos Analistas-Tributários das áreas de Atendimento, Arrecadação e Cobrança, realizado nesta terça-feira, dia 25, em Curitiba/PR. Promovido pelo Sindireceita com apoio da Superintendência Regional RFB da 9ª Região Fiscal, o evento reuniu mais de 40 Analistas-Tributários das unidades da RFB em Santa Catarina e no Paraná, além de administradores locais. O encontro contou com palestras e debates e foi realizado das 8h às 18h, no auditório do 11º andar do hotel Mabu Curitiba Business.

Pelo Sindireceita, participaram do evento o presidente Geraldo Seixas, o vice-presidente, Celso Martins, o diretor de Defesa Profissional, Alexandre Magno Cruz Pereira, o presidente do CEDS/PR e delegado sindical em Curitiba, Alcione Policarpo, a presidente do CEDS/SP, Kátia Nobre, o delegado sindical em Londrina/PR, José Carlos Mazzei,  o delegado sindical adjunto em Florianópolis/SC, Geraldo Paes Pessoa, a delegada sindical em Cascavel/PR, Walderez Maria Mayer Bueno Otto, e o delegado sindical em Joaçaba/SC, Yuri Reis de Godoi.

A RFB esteve representada no encontro pelo superintendente adjunto da 9ª RF, Reinaldo Cesar Moscato, pelo coordenador-geral de Atendimento (Cogea/RFB), Antônio Henrique Lindemberg Baltazar, pelo chefe da Divisão de Gestão de Pessoas (Digep) da 9ª RF, Carlos Alberto Kletemberg, e pelo chefe da Divisão de Interação com o Cidadão (Divic) da 9ª RF, Francisco Horst Bignardi Reinhardt, e pelo chefe da Divisão de Arrecadação e Cobrança (Dirac) da 9ª RF, Eriton Lima de Oliveira.

Durante a abertura do evento, o presidente Geraldo Seixas ressaltou a importância do estabelecimento de um diálogo claro, objetivo e transparente junto à administração do órgão e suas respectivas entidades representativas dos servidores da RFB. “Nos últimos anos, assumimos essa postura e acreditamos que enquanto esse caminho não for trilhado continuaremos a ser atacados e desvalorizados enquanto servidores públicos. Nosso objetivo, dentro dessa filosofia, é a busca do fortalecimento e defesa de nosso órgão. De fato, é fundamental a compreensão, neste momento conturbado política e economicamente, de que apenas trabalhando com vistas ao fortalecimento de nossa instituição é que teremos a condição de alcançarmos sucesso em relação ao reconhecimento do valor de nosso cargo. Em resumo, a lógica é: o fortalecimento da Receita Federal, enquanto órgão fundamental para o Estado, produz o fortalecimento de suas carreiras e em consequência o fortalecimento de seus cargos”, disse.

Seixas também fez um resgate histórico sobre os desafios enfrentados pelos servidores da Carreira ao longo do processo de negociação salarial iniciado em 2015, ainda não concluído, e destacou que a abertura do diálogo e o estabelecimento de uma convergência de propósitos entre os atores envolvidos na mesma teve papel crucial para os avanços conquistados até o momento. “Uma mudança de postura tornou-se uma necessidade, a conjuntura dos últimos três anos a exigiu. Nossa categoria, de forma corajosa e consciente, decidiu assumi-la, uma demonstração inconteste do grau de maturidade e consciência sindical por nós atingida. Participamos de uma negociação salarial cheia de entraves e obstáculos de toda natureza, aprendemos muito, esse didatismo nos impõe essa realidade e o que era uma impressão torna-se uma convicção de que estamos no caminho certo. Se não tivéssemos unido forças e aberto um espaço de diálogo não teríamos chegado até aqui. Seguiremos trabalhando nesta linha de convergência para fortalecer o nosso órgão cada vez mais, pois só assim seremos fortes”, declarou.

Na oportunidade, Geraldo Seixas também defendeu o Bônus de Eficiência como um importante instrumento de gestão, ressaltou as ações em prol do fortalecimento da identidade do cargo de ATRFB e destacou que o Mapeamento de Processos de Trabalho, ainda em curso, tem mudado a cultura interna da Receita Federal, este, um dos objetivos desse evento.

Unindo forças

Em sua explanação, o coordenador-geral da Cogea/RFB, Antônio Henrique Lindemberg Baltazar, elogiou a fala do presidente Geraldo Seixas e destacou que o diálogo é o caminho mais inteligente e produtivo para fortalecer o Fisco e os servidores do órgão. “A fala realizada por Geraldo Seixas me deixa alegre, pois precisamos dialogar para chegarmos aos objetivos comuns, e que estes sejam os melhores para a nossa instituição. Somos todos servidores de um mesmo órgão e acho que essa via é a forma mais inteligente de atuarmos”, afirmou.

A importância do diálogo junto à administração da RFB também foi ressaltada pelo presidente do CEDS/PR e delegado sindical em Curitiba, Alcione Policarpo. “Esse evento é de suma importância e mostra que o trabalho conjunto entre a categoria, o nosso Sindicato e a administração pode ser cada vez mais produtivo”, defendeu Policarpo.

A convergência em prol do fortalecimento do Fisco também foi abordada em explanação do diretor de Defesa Profissional do Sindireceita, Alexandre Magno Cruz Pereira, durante a abertura do evento. Na ocasião, Alexandre Magno também resgatou o histórico de realização dos encontros regionais promovidos pelo Sindicato com apoio da administração, ocorridos desde 2017, e afirmou que o Mapeamento de Processos de Trabalho cumpre um papel fundamental para que a Receita Federal possa solucionar os problemas enfrentados atualmente. “A Receita Federal está à frente de diversas ações importantes para o País. Uma instituição forte significa carreira e cargo fortes. A sociedade clama por uma Receita Federal eficiente e o nosso órgão precisa dar respostas à população e, também, solucionar problemas internos que enfrentamos atualmente. Nosso intuito é disseminar os resultados do Mapeamento de Processos de Trabalho da RFB para que consigamos alcançar esse objetivo”, afirmou o diretor do Sindireceita.

Desafios e perspectivas 

Para o superintendente adjunto da 9ª RF, Reinaldo Cesar Moscato, a Receita Federal deve apostar em novas estratégias para otimizar o atendimento à sociedade, que possam ser efetivadas mesmo diante da limitação do número de servidores no Fisco. Segundo Moscato, as discussões sobre o Mapeamento de Processos realizadas durante o encontro contribuem para fortalecer a RFB e, consequentemente, o Estado brasileiro. “Precisamos repensar as nossas ações, pois temos cada vez menos servidores. Ao mesmo tempo, devemos melhorar a prestação de serviço ao contribuinte. O que vamos apresentar à sociedade para fazer mais com menos? As discussões sobre o Mapeamento e as atribuições contribuem para fortalecer e tornar mais eficiente a nossa instituição e isso é de extrema importância para o Estado”, afirmou.

De acordo com o chefe da Digep da 9ª RF, Carlos Alberto Kletemberg, diante da ausência de previsão de novos concursos públicos para a contratação de mais servidores e do atual contexto político, a Receita Federal deve apostar na adoção de novas tecnologias para se tornar mais eficiente. Kletemberg ressaltou ainda que os servidores do Fisco devem ser protagonistas na elaboração de novas estratégias para promover transformações no atendimento do órgão e trabalhar unidos. “A Receita Federal tem buscado formas de otimizar a sua mão de obra disponível em relação aos processos de trabalho. A sociedade espera a nossa agilidade e, aliados à tecnologia, precisamos dar uma resposta rápida, unindo forças, criando propostas e nos tornando protagonistas do nosso próprio futuro.  Os novos concursos aguardam autorização, mas o momento político é delicado e precisamos trabalhar com os recursos que temos. Esse encontro é importante para refletirmos sobre tudo isso”, afirmou.

Em sua fala na abertura do evento, o chefe da Divic da 9ª RF, Francisco Horst Bignardi Reinhardt, também destacou a importância das novas tecnologias para a RFB, o papel dos Analistas-Tributários no atendimento orientado e os resultados obtidos na 9ª RF a partir do estabelecimento de parcerias na área de atendimento entre o Fisco e outros órgãos. “O grande problema é o desequilíbrio entre a demanda por atendimento e a nossa capacidade de atender. As ferramentas que estão chegando permitem que a gente consiga equilibrar essa equação. No atendimento orientado, os Analistas-Tributários têm papel importante, pois estão bem preparados e qualificados para realizá-lo, oferecendo suporte para as pessoas que estão na estação junto ao contribuinte. O nosso projeto da 9ª Região Fiscal oferece autoatendimento orientado nas salas do empreendedor do Sebrae, em Ivaiporã. O prefeito e o Sebrae ficaram satisfeitos com essa iniciativa, e nós estamos pensando em ampliar para Bandeirantes e Santo Antônio da Platina”, avaliou.