As perspectivas para o cargo de Analista-Tributário e o processo de reestruturação da Receita Federal do Brasil (RFB) foram amplamente debatidos nesta segunda-feira, dia 29, durante o VIII Encontro Regional dos ATRFB, em Niterói/RJ. O evento foi promovido pela Delegacia Sindical do Sindireceita em Niterói, em parceria com a Diretoria Executiva Nacional (DEN) e a Superintendência da RFB na 7ª Região Fiscal. O encontro foi realizado das 9h às 18h, no auditório do Museu de Arte Contemporânea, com a participação de cerca de 40 Analistas-Tributários dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, São Paulo e Sergipe.

A abertura do encontro foi conduzida pelo presidente do Sindireceita, Geraldo Seixas, pelo diretor de Defesa Profissional do Sindicato, Alexandre Pereira, e pelo delegado sindical em Niterói, Ney da Guia Mello. Segundo Geraldo Seixas, o evento é uma oportunidade para que os Analistas-Tributários, filiados ou não, conheçam as iniciativas realizadas pelo Sindireceita e possam debater diversos assuntos de interesse da categoria. “Agradeço a disposição do delegado sindical em trazer este evento para Niterói, para que nossos colegas possam tomar conhecimento sobre o que o Sindireceita tem feito diante desse cenário de muitas dificuldades que estamos enfrentando no País. Temos buscado conversar muito com a administração da Receita Federal, de forma respeitosa, objetiva e transparente. Nossa intenção é fazer com que os Analistas-Tributários possam assumir o que nos é devido e que nós temos condições de assumir”, disse.

O delegado sindical em Niterói, Ney da Guia Mello, agradeceu a presença dos participantes do evento e destacou que o atendimento de qualidade à sociedade deve nortear o trabalho dos ATRFB em todo o país. “Precisamos nos enquadrar nesse novo tempo de modernidade e tecnologia, mas nunca podemos nos esquecer do fundamental, que é o fato de que nós somos servidores públicos e o nosso objetivo principal é atender a população. A Receita Federal tem um papel muito importante na arrecadação de recursos para todas as áreas que atendem a população”, afirmou Mello.

Segundo o diretor de Defesa Profissional do Sindireceita, Alexandre Pereira, os Encontros Regionais têm como intuito conscientizar os Analistas-Tributários acerca do trabalho desempenhado pelos servidores do cargo, principalmente nas áreas de atendimento, arrecadação e cobrança. Pereira ressaltou ainda que o evento visa debater as mudanças na RFB promovidas pelo processo de regionalização e pelo uso de novas tecnologias no órgão. “O nosso propósito com este evento é promover a conscientização sobre o nosso trabalho como Analistas-Tributários. Nossos debates são focados especialmente nas áreas de atendimento, arrecadação e cobrança e em nossos desafios com as tecnologias que estão sendo implementadas na Receita Federal. É importante que todos os participantes disseminem entre os colegas, em suas regiões, os conhecimentos e debates realizados aqui”, disse.

Debates e histórico

Durante a manhã, os participantes do evento acompanharam as palestras “A nova RFB – reestruturação e otimização do trabalho”, ministrada pelo superintendente da 7ª RF, Mário José Dehon; “O impacto de novas tecnologias nos processos de trabalho da RFB”, conduzida pela Analista-Tributária integrante da Equipe de Informações Estratégicas da Cotec/RFB, Leni Veiga, e “Equipe Especializada de Atendimento em Retaguarda”, realizada pelo supervisor da EATRE/MG, Breno Mattar Vieira de Alvarenga. À tarde, o diretor de Defesa Profissional do Sindireceita ministrou a palestra “As atribuições dos Analistas-Tributários à luz do Mapeamento de Processos de Trabalho da RFB” e, na sequência, o diretor de Estudos Técnicos do Sindicato, Eduardo Schettino, conduziu palestra intitulada “Analistas-Tributários da RFB – passado, presente e futuro”.

Os Encontros Regionais têm como objetivo discutir a nova estrutura da RFB e disseminar as competências legais dos Analistas-Tributários inerentes às competências da Secretaria da Receita Federal do Brasil, de modo a conscientizar e fortalecer a sua identidade funcional, vinculando-a à missão institucional da RFB e às atividades específicas da administração tributária da União.