Geronimo Abertura AGN (2)O presidente do Conselho Nacional de Representantes Estaduais (CNRE) do Sindireceita, Gerônimo Sartori, destacou, em discurso de abertura da XIV da Assembleia Geral Nacional (AGN), no dia 21, o importante papel que o Analista-Tributário possui, enquanto categoria unida, na articulação pelo reconhecimento do cargo e pelo aperfeiçoamento da Receita Federal.

Gerônimo Sartori ressaltou que a Assembleia Geral Unificada é uma oportunidade ímpar para a categoria discutir e apresentar propostas que definirão os princípios, a tática e a estratégia sindical dos próximos anos. Segundo ele, a construção conjunta de propostas é fundamental para apontar, em caráter definitivo, mudanças na estrutura organizacional da Receita Federal.

O presidente do CNRE acredita que os Delegados Sindicais e os participantes da Assembleia Geral Nacional fomentarão, até o dia 26, as discussões e as decisões que serão essenciais para construção de um futuro melhor para a categoria e para a Receita Federal. “Tendo em vista que a AGN é o órgão máximo de deliberações da categoria, nossos esforços serão direcionados para que os debates e discussões se materializem em projetos e propostas para tornar a RFB uma instituição de excelência em administração tributária e aduaneira, com referência nacional e internacional”, reforçou.

Na ocasião, Gerônimo Sartori também prestou homenagem, em nome de todos os membros do CNRE, à Analista-Tributária Dayse Cunha que foi vítima da violência e faleceu em abril deste ano. “Por ironia do destino, a colega Dayse desempenhava suas atividades profissionais no aeroporto de Belém/PA, na área aduaneira, que possui como finalidade o combate ao descaminho e contrabando de armas e munições. Armas que entram livremente no País, por falta de uma Aduana Forte”, explicou.

O presidente do CNRE encerrou sua participação na abertura da XIV AGN com a exibição de uma reportagem produzida pela RBS TV, afiliada da Rede Globo, que evidência a fragilidade das condições da atuação da Aduana Brasileira. Gerônimo Sartori também pontou o histórico de trabalho realizado pelo Sindireceita para denunciar o cenário nacional da Aduana Brasileira, a exemplo do Livro e do Documentário Fronteiras Abertas, além de todo o conteúdo produzido em várias plenárias temáticas.