Diretor do Sindireceita ministra palestra em seminário sobre educação fiscal e combate à pirataria em Manaus/AM

O segundo dia do seminário teve como destaque a palestras sobre a Educação no Combate à Pirataria ministrada pelo diretor de Assuntos Aduaneiros do Sindireceita, Moisés Hoyos

O segundo dia do seminário sobre municipalização do Programa de Educação Fiscal, realizado no miniplenário Cônego Azevedo da Assembleia Legislativa do Amazonas teve como destaque as palestras sobre a Educação no Combate à Pirataria, ministrada pelo diretor de Assuntos Aduaneiros do Sindireceita, Moisés Boaventura Hoyos e Educação Ambiental e Cidadania, realizada por Weider Afonso Bindá. 

O Analista-Tributário e diretor do Sindireceita, Moisés Boaventura destacou aos presentes a importância de se evitar comprar qualquer produto de origem duvidosa dando como exemplo não só os CDs e DVDs, mas remédios, roupas e outros utensílios que fomenta esse mercado nocivo constante no dia a dia. Para Moisés, a proposta ideal seria “darmos um basta nesse comércio de produtos ilegais, não só deixando de comprá-los, mas através de programas que levem incentivos sobre a educação fiscal nas escolas ou universidades e por meio da valorização de ideias”, argumentou. Queremos com isso, disse Moisés, chamar a atenção da população para os prejuízos que esse comércio ilegal gera na economia. Por isso se faz necessária a parceria com agentes sociais que se tornem multiplicadores dessa proposta, a exemplo de professores, artistas e movimento.

 A situação é tão grave que está comprovado que a pirataria possui ligação com o crime organizado, além da comprovação de condomínios de luxo que se utilizam de “gatos” na energia e na TV por assinatura, mostrando assim, que a situação está ficando fora do controle. Moisés Royos explicou que a campanha “Pirata:Tô fora!” está diretamente relacionada à questões de educação fiscal. “Ao se comprar um produto pirata ou contrabandeado promove-se o não recolhimento de tributos, a concorrência desleal, o trabalho escravo, o crime organizado e cabe a educação combater esse mal que assola nossa sociedade”, declarou.

O interesse do Sindireceita, disse Moisés Hoyos, é ampliar as ações da campanha que podem ser utilizadas por todos os órgãos que promovem a educação fiscal no Amazonas, lembrando ainda que a campanha “Pirata: tô fora!” foi duas vezes premiada como a melhor ação educativa de combate à pirataria do Brasil.

No segundo tema do seminário, Weider Afonso Bindá explicou que a iniciativa de ação política voltada ao seminário de Educação Fiscal estava diretamente ligada à questão da Educação Ambiental, na medida em que “a formação do cidadão e o seu bem-estar prevê numa ótica de educação ambiental sustentável elementos de procura desse bem-estar”, justificou. 

A Educação Ambiental está garantida pela Constituição da República Federativa do Brasil de 1998 e ela deve ser promovida em todos os níveis de ensino para que as pessoas adquiram conscientização pública para a preservação do meio ambiente.

“A Educação Ambiental sozinha não é suficiente para resolver os problemas ambientais, mas é condição indispensável para tanto. A grande importância da Educação Ambiental é contribuir para a formação de cidadãos conscientes do seu papel na preservação do meio ambiente e que estejam aptos a tomar decisões sobre questões ambientais necessárias para o desenvolvimento de uma sociedade sustentável”, assinalou. (Com informações da Assessoria da Assembleia Legislativa do Amazonas)

 

468 ad

Leave a Reply